Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog à solta

Textos de um estudante preso em Coimbra com a ambição de ser crítico de música

Blog à solta

Textos de um estudante preso em Coimbra com a ambição de ser crítico de música

O primeiro post e a problemática do (re)começar

Olá a todos os que estão a ler o primeiro post do meu blog "à solta"!

Antes de mais nada, acho que seria importante explicar o porquê de, apesar já ter um outro blog, ter decidido criar este a partir do zero.

 

O dia em que a organização se desorganizou


Como puderam ver através do link, o título "Homogeneidade" do meu blog principal pretendia transmitir uma sensação de unanimidade e conexão. A minha premissa era ter um espaço onde eu publicaria sobre variados assuntos que me interessam - principalmente música e tecnologia, alternando com uma série de publicações de teor mais pessoal e opinativo.

A ideia inicial em si pareceu-me boa. O carácter homogéneo desse meu blog não seria o facto de abordar assuntos diferentes - até porque isso não se traduziria num blog consistente ou homogéneo sequer- mas sim a maneira honesta, descontraída e quase que superficial com que os abordaria. O "homogéneo" nesse blog estaria no carácter com que abordaria os vários temas, não estes em si.

 

Acidentalmente, acabei por transformar esse blog num sítio voltado quase exclusivamente para as minhas experiências como crítico musical to be e a certa altura acabei por deitar por terra o meu projeto inicial. O que deveria ser um blog com temáticas alternadas de forma natural, tornou-se hostil a qualquer outra coisa que não estivesse relacionada com música, uma das minhas maiores paixões (acho que já devem ter percebido esse pequeno grande detalhe).

 

A certa altura dei por mim a pensar no monstro que havia criado. Um monstro lindo, mas que não estava nos meus planos de se tornar em tal.

Para evitar que esse monstro condicionasse aquilo que eu deveria, ou não, partilhar no meu blog principal, surgiu a ideia de criar um blog secundário voltado para assuntos mais pessoais, e - agora sim - abordados de forma espontânea e menos mecânica.

 

Porquê o SAPO?

 

 

Posso dizer que, no que toca a testar várias plataformas para criar blogs, tenho alguma experiência - mas não sou sabichão, calma...

A primeira plataforma que testei, e usei, durante uns bons meses foi o Blogger ou Blogspot. Confesso que a razão de escolha para esta primeira experiência foi mais com base na popularidade e na imagem que o nome "Blogger" causava em mim. "Wordpress" soava-me demasiado complexo e "SAPO" demasiado limitador...

Acontece que o planeta gira e as coisas mudam, o Blogger deixou de ser suficiente a certa altura, sentia que me faltava sempre alguma coisa. Se no Wordpress encontrei a versatilidade e detalhismo que dão uma impressão mais "profissional" mesmo na versão gratuita, o SAPO transmite-me a sensação de simplicidade e disponibilidade em receber de braços abertos um novo pseudo-escritor como eu.
Do muito que já ouvi falar, o SAPO parece fazer questão de se manter próximo da sua pequena - mas bem viva - comunidade. Justamente aquilo que eu quero para algo mais pessoal e informal. Isto sem falar da secção de Leituras e os destaques diários

 

Relativamente ao nome? Simples! Este será um blog que não ficará preso a um assunto apenas. Será um blog livre e informal, um reflexo de um lado "escondido" da minha pessoa

 

Agora vem a parte difícil, que de início será quase como gritar para o vazio, que é conseguir ganhar algum destaque ou visibilidade mínima. Talvez essa seja mesmo a problemática de quem está a (re)começar. Sentimo-nos sempre impotentes, que nunca chegaremos a lado nenhum... Mas a esperança é a última a morrer!

 

Até um próximo post!

 

 

 

2 comentários

Comentar post