Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog à solta

Textos aleatórios. Demasiado aleatórios para não terem lugar no meu blog principal.

Blog à solta

Textos aleatórios. Demasiado aleatórios para não terem lugar no meu blog principal.

O que aconteceu com as redes sociais?

Este não deveria ser mais um daqueles textos em que, simplesmente, despejo pensamentos menos positivos em relação a alguma coisa. Mas como eu sou casmurro, este vai ser um desses.

O título por si só já diz praticamente tudo. O que aconteceu com as redes sociais? Porque é, subitamente, tornaram-se tão desinteressantes e estáticas? Quando é que vai surgir a próxima grande novidade nas redes sociais?
Estas são algumas perguntas que de vez em quando me passam pela cabeça, em especial quando olho para trás e penso: "o Facebook antes era tão divertido", "o Twitter já teve uma essência mais intimista", "o Google+ era a melhor rede social há 5 anos atrás"... Desde há uns anos para cá, principalmente depois do surgimento do Snapchat, parece que todas as redes sociais se uniformizaram ao ponto de serem quase farinha do mesmo saco.
O Facebook, apesar de problemático e tecnicamente inferior ao Google+, tinha algo que o diferenciava dos outros quando não inundava o feed com publicações patrocinadas. Na altura detestava receber notificações para jogar FarmVille, CityVille ou derivados (apesar de também jogar) mas, agora que penso nisso, eram essas aplicações estúpidas que davam encanto ao Facebook e o tornavam mais "pessoal", único e "inclusivo".
O Google+, apesar de ter sido sempre um nicho, era de longe a rede social mais vanguardista que existiu durante imenso tempo e é com imensa pena, mas também alguma azia, que vejo a Google pagar pelos erros que cometeu ao longo dos anos com aquela que podia ter sido a melhor coisa de sempre.
Já relativamente ao Twitter, posso resumir as minhas reclamações com uma simples frase: antes de ter anúncios e se tornar um campo de conteúdos visuais tóxicos, era melhor.

Excluindo o Google+ e a rede social Eter9, digamos de passagem que esta última tem tanto de interessante como de assustador, quase todas as redes sociais pareceram caminhar em direção a conteúdos cada vez mais fabricados. A febre dos snaps fizeram com que o Instagram e o Facebook colocassem as stories, isto para não falar no Youtube e até no Skype (apesar de já não ter)... qual é o propósito? Não era suposto cada ferramenta ter uma identidade mais própria?

Isto tudo pode ser apenas o saudosismo a falar mais alto, mas a verdade é que já não vejo o mesmo prazer em usar redes sociais. Preferia voltar aos tempos em que o foco eram os nossos interesses e não conteúdos fabricados, estereótipos tóxicos, lixo visual e narcisismo em formato de fotografias que desaparecem após 24 horas. Ao menos ainda temos os blogs mais old school...